domingo, 6 de abril de 2014

Fechando as portas

Pois é, amigos. Como vocês devem ter notado, ultimamente as mesas estavam juntando poeira, as máquinas de chope tinham entupido e o forno estava cheio de gordura velha. Fico triste em anunciar, e posterguei bastante (principalmente evitando o primeiro de abril) para dizer que o Birosca está, ao menos por enquanto, fechando as portas.

Não, não é um post do tipo "me amem, peçam para continuar". Quem me conhece sabe que minha filha Helena acabou de nascer, prematura, demandando bastante atenção. Minha vida está em uma mudança brusca, a vida real bate à porta e algumas coisas que precisam de tempo e dedicação acabam sendo cortadas, porque o tempo livre está ficando cada vez mais escasso. Até porque eu não estou mestrando e devo demorar a voltar, também perdi a vontade de escrever em um blog neste momento.

Vou deixar o blog no ar para consultas, no entanto. E provavelmente ainda vou escrever no blog da Redbox, sobre nossos projetos e tudo mais.

Então, desejo tudo de bom pra vocês que me acompanharam nesses quase três anos de Birosca Nerd. Talvez eu volte se um dia a chama reaparecer, ou até mesmo se tiver alguma campanha para fazer reporte ou algo assim.

Até mais!

terça-feira, 11 de março de 2014

Gancho de Aventura: O Corvo de Turan

A noite ia alta e fria em Turan, uma pequena cidade comercial empoleirada em uma montanha na fronteira entre os reinos. O ventos soprava quase solitário, atravessando as ruas escuras de barro e terra preta, avistando os bêbados caídos nas duas tavernas onde a música ainda ecoava, acariciando cachorros de rua e gatos sorrateiros e acompanhando o canto das cigarras. Ele cabriolava na praça com o poço local, de onde também era possível atravessar os portões leste e seguir para outro país. Ali na calçada se estirava um homem, os sons gorgolejantes de um pescoço degolado cortando a harmonia dos sons noturnos, seu sangue escuro jorrando por sobre as lajotas. A noite ia alta e fria em Turan - uma noite como qualquer outra para morrer.

Às vezes eu tenho tempo e preparo histórias do zero (sim, eu uso muitos enredos e aventuras prontas :P), aí as melhorezinhas eu trago pra cá na forma de ganchos de histórias. Engraçado que minhas tramas favoritas são as urbanas, com inimigos (quase sempre) humanos. É como se diz por aí, a crueldade humana é a pior e tudo mais. Gosto de uma citação de Supernatural: monstros possuem padrão; de gente, nunca se sabe o que esperar.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Cenários de fantasia e suas inspirações

Este post foi publicado pela primeira vez lá no Wordpress, e eu estou trazendo ele de volta para atualizar e fazer uma referência para o meu próximo (mequetrefice master). A ideia surgiu quando há alguns anos, joguei uma aventura em um evento em Khubar, um reino de Tormenta. O narrador, Bob Mota, ficou surpreso quando mencionei que meus khubarianos eram inspirados nos maori e samoanos.

Hoje em dia é muito mais notável que autores de fantasia tomam referência em culturas, lugares e pessoas do nosso mundo para compor seus cenários. Porém, ainda existe muita gente que não atinou para este fato, ou nunca pensou em pesquisar e achar referências para apoiar seu cenário pessoal, ou mesmo achou que estaria “trapaceando” ao usar ideias do nosso mundo ao invés de “criar sua própria fantasia”. Pensar em referências reais - e reconhecer essas inspirações nos cenários de fantasia - pode ajudar qualquer narrador a ambientar melhor suas histórias. Confira comigo no replay.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

XIV Encontro de Jogadores de RPG

E, solidificando cada vez mais sua tradição, teremos o XIV Encontro de Jogadores de RPG, em pleno carnaval na cidade de Campina Grande/PB! Nos dias 1, 3 e 4 de Março, nerds de todo o Nordeste irão se reunir para rolar dados. Se ano passado o tema foi o Japão Feudal (fortemente apoiado pelo Blood & Honor, com o primeiro live-action do jogo no Brasil e além), agora a nerdaiada vai singrar o espaço sideral e descobrir novas fronteiras no universo com o tema de Ficção Científica! 

Acontecendo de forma initerrupta há 14 anos, o Encontro de Jogadores de RPG de Campina Grande configura-se com um dos mais velhos eventos do deste gênero. Sempre como parte integrante do Encontro da Nova Consciência, o evento todo ano traz uma alternativa de diversão para o período carnavalesco da cidade.  Como nos anos anteriores, os três dias serão recheados de mesas de RPG e Boardgames (tanto para jogadores experientes como para iniciantes nos dois hobbies), palestras abordando os mais variados temas dentro do RPG, e os já tradicionais Live Actions, que este ano serão baseados no jogo de humor Sci-Fi "Paranóia" e em Star Wars! Tem como ser mais legal? :D

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

True Detective, que série fantástica

Esses dias tenho falado lá no Facebook de uma série excelente da HBO que eu e Elisa acompanhamos, True Detective. Cada episódio é uma porrada de te deixar arrepiado. Nic Pizzolatto (roteiro e argumento) e Cary Fukunaga (direção) não são nomes muito conhecidos, mas trouxeram uma produção para bater fácil de frente com as melhores séries da emissora (sim, incluindo Sopranos :P).

True Detective parte de uma premissa conhecida: dois policiais investigando um crime estranho e ritualístico, algo como Seven ou O Colecionador de Ossos. Eles são parceiros e possuem problemas de relacionamento, sendo um durão e família e o outro esquisitão e genial. Mas isto é apenas a superfície das águas negras e profundas de uma história muito bem amarrada, densa e niilista, cheia de pequenos e sutis elementos que te deixam de cabelo em pé.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Coraline e o livro secreto

Esses dias tive a oportunidade de ler Coraline, de Neil Gaiman (emprestado pela cunhada Bia). Eu só tinha visto o filme, e gostado demais dele. Mas não sabia que o livro poderia ser tão mais bacana.

Como você provavelmente já sabe, Coraline é um passeio pela literatura infantil do grande Gaiman (se nunca leu um livro dele, corra logo). Na verdade, é uma história de “horror infantil”, que eu só vou deixar minha Helena ler quando estiver maiorzinha. O escritor quis mexer com as historinhas tradicionais, e assim nasceu este livro, que você devora rapidamente do começo ao fim com uns bons calafrios.

Coraline é uma menina esperta que acaba de se mudar com os pais para um apartamento em um prédio antigo. Seus vizinhos são velhinhos meio malucos (um sujeito que acredita ter uma banda marcial de ratinhos, que de fatos são mais espertos que parecem, e duas ex-atrizes recordando suas glórias do passado, lendo folhas de chá e cuidando de seu cachorrinho) que nunca acertam seu nome mas a acham uma criança extraordinária. Seus pais são muito ocupados, e ela acaba matando o tédio enorme de fim de férias explorando a região e o interior da casa. Assim, encontra uma porta que a leva até um outro mundo, onde tudo aparenta ser mais interessante seus “outros pais” (com botões pretos no lugar dos olhos) querem amá-la para sempre. Mas ela logo descobre que vai enfrentar muitos apuros para escapar daquela armadilha.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Abaixo os combates absurdamente demorados

No fim do ano passado, tivemos uma sessão meio brochante de uma das minhas campanhas de fantasia medieval - eu até mencionei ela no meu post de ano novo. Foi literalmente uma sessão inteira rolando um só combate, porque envolvia um monte de gente.

Basicamente, a companhia mercenária Falcões Trovejantes (quatro jogadores, mais seis NPCs) sofreu a emboscada de um grande bando de escravagistas, composto de dezenas de homens, alguns gnolls e três ou quatro ogros. Primeiro os vilões tentaram rendê-los, mas era questão de tempo até um combate começar. Eles tinham a vantagem do terreno (uma passagem estreita entre duas colinas, e tinha bandido em cima e cercando a entrada e saída), e após algumas flechas e pedradas, a ideia é que outro bando de mercenários, aliados dos PJs, chegassem para ajudar e os PJs só ficassem lutando com alguns dos bandidos.

Em tempo, a luta foi emocionante e empolgante, com golpes incríveis nos monstros maiores, magias poderosas,  arqueiros dando headshots e espadachins dando botes em magos, mas esse tipo de luta sempre acaba deixando a gente muito desgastado (principalmente a mim) no fim, mesmo sendo divertida.